Instituto Wanna

Contratura Capsular

Exames para diagnosticar problemas com silicone

Como qualquer procedimento cirúrgico, a mamoplastia de aumento requer algumas revisões por meio de exames periódicos, como a mamografia e o ultrassom das mamas, a fim de diagnosticar quaisquer alterações na região mamária da paciente.

O que é a contratura capsular?

É comum e esperado que após a colocação das próteses de silicone, o corpo reaja de maneira a expulsá-lo ou absorvê-lo. Como maneira de expelir o corpo estranho, o organismo isola a prótese em uma cápsula. Esse movimento pode causar enrijecimento da prótese e, em alguns casos raros, deformação da mama. São quatro os diferentes graus de contratura capsular.

1º Grau – As mamas permanecem bastante semelhantes aos seios não operados;

2º Grau – Essa é a contratura mínima, pouco endurecida, mas sem modificações visíveis;

3º Grau – Considerada moderada, a mama apresenta endurecimento, a prótese fica palpável e a alteração passa a ser visível.

4º Grau – Contratura severa ou grave, a mama passa a causar incômodo e dor à paciente, além de ter seu formato distorcido.

Como cuidar da contratura capsular?

Muitos cirurgiões plásticos optam pela remoção e alteração da prótese quando há contratura severa, caso contrário é possível adotar outros métodos, a fim de se reverter o quadro.

Porque ocorre a contratura capsular?

Ainda não há pesquisas conclusivas em relação às causas da contratura capsular, podendo ocorrer no primeiro mês ou depois de anos, em uma ou ambas as mamas.

Qual o índice de ocorrência da contratura capsular?

Hoje, a contratura capsular possui índice de ocorrência mínima.