A retirada da mama causa na maioria das mulheres um grande problema emocional, nesses casos a Reconstrução mamária é fundamental, pois, ajuda na auto-estima melhorando assim a qualidade de vida.

Segundo o Ministério da Saúde só este ano mais de 50mil casos de cancêr de mama serão diagnosticados no país. Muitas vezes é necessário fazer a mastectomia ou seja a retirada da mama durante o tratamento. Nem toda a mulher que realizou uma mastectomia (retirada total da mama) ou quadrantectomia (retirada parcial da mama) ou ainda outra cirurgia para tratamento de câncer de mama sente a necessidade de reconstruir a mama, mas para muitas essa é uma importante parte da recuperação.

 

Existem tipos de Reconstrução mamárias diferentes, As técnicas para reconstrução da mama  podem variar e depender da quantidade de tecido removido e da localização.

Lembre-se que a reconstrução de mama é realizada em diversas etapas cirúrgicas. Como cada paciente e procedimento é diferente, o número de cirurgias e o tempo de recuperação podem variar.

A reconstrução de mama no tratamento conservador

O tratamento conservador do câncer de mama é aquele em que não se retira totalmente o tecido mamário da paciente, com isto, ganha-se em qualidade de vida e de reconstrução. Porém sua indicação dependerá da possibilidade de se realizar um tratamento adequado do ponto de vista do tratamento do câncer e isto quem irá decidir será o mastologista.

Essa reconstrução utiliza o próprio tecidos da mama, que através de seu reposicionamento preenchem os espaços vazios causados pela retirada do câncer, são os chamados retalhos locais e são associados ou não a mamoplastia.

Freqüentemente para se ter uma boa simetria entre as duas mamas, recomenda-se realizar a mamoplastia da mama contralateral, ou seja, é feita a mamoplastia da mama oposta para que fiquem assimetricas obtendo assim um melhor resultado estético das mamas.

Nos casos que a paciente não possui tecido suficiente, utiliza-se retalhos de pele de outros locais e ou implantes mamários.

A Reconstrução mamária pode ser realiza juntamente com a cirurgia da mastectomia, ou seja é feita a reconstrução imediata da mama, converse com seu mastologista e cirurgião plástico para saber qual a melhor decisão a ser tomada.

O tipo de reconstrução mamária para você dependerá da sua situação médica, das formas da sua mama, do seu estilo de vida e de seus objetivos.

A reconstrução pode ser realizada usando diversos métodos:

  • pode-se utilizar os tecidos do corpo da própria paciente
  • utilizar implantes mamários
  • utilizar uma combinação dos dois métodos

 Independentemente do método escolhido as cirurgias subsequentes deverão ser realizadas a fim de se conseguir uma melhor simetria além da reconstrução do complexo aréolo mamilar.

Reconstrução de Mama com Tecidos próprios

Tecidos próprios: é quando se realiza a reconstrução a partir do próprio corpo da paciente. No geral, utiliza-se a região do abdômen, que tem a maior quantidade de gordura e pele disponível.

O retalho (é chamado de retalho o tecido junto com pele gordura e músculo que é retirado de um local e levado para o outro porém continua preso no lugar original, assim continua sendo vasculizado e não ocorre o risco do tecido morrer). 

É uma cirurgia que além de reconstruir a mama melhora a aparência do abdômen. É uma cirurgia que leva de 4 a 6 horas

geralmente requer de 2 a 3 dias de internação hospitalar.

A recuperação é de 3 a 4 semanas para a maioria das atividades.

Nos casos que a paciente não possui tecido suficiente, utiliza-se retalhos de pele de outros locais e ou implantes mamários.

Reconstrução Mamária com implantes

Técnica com Expansores de tecidos:

 É utilizada quando não se têm pele suficiente para se colocar um implante abaixo e se obter um formato adequado da mama.

O expansor de tecidos é basicamente um um tipo de implante temporário, é parecido com um balão com uma valvula, é colocado vazio no local da mama e é inflado gradualmente com soro fisiológico para que a pele vá se expandindo.

Depois que se alcança um tamanho semelhante a mama que se deseja reproduzir é retirado o e expansor de tecidos é colocado o implante definitivo que pode variar de tamanho e forma

Técnica sem Expansores de tecidos:

Somente pode ser usado em casos de mastectomia que não foi retirado grande parte de pele.

O procedimento é o mesmo de um implante de silicone normal.

o mamilo é reconstruído com a pele do próprio local e a aréola com enxerto de pele da região inguinal. Apesar do resultado da reconstrução ser bom, não se restabelece a sensibilidade da aréola nem do mamilo.

Tipo de Anestesia

A anestesia geral ou a peridural alta com sedação são recomendadas para a maioria das pacientes. Atualmente, com a evolução da medicina, os riscos inerentes a anestesia são relativamente pequenos. Desde que a paciente se encontre em bom estado de saúde, pode se submeter com tranqüilidade à qualquer tipo de anestesia.

Dor pós-operatória

Dependendo do tipo de reconstrução a dor pós-operatória será em locais e intensidades diferentes. No entanto, ela é muito bem controlada por analgésicos orais e antiinflamatórios, sendo raro o uso de analgésicos mais fortes.