A perda da audição é uma deterioração. A surdez é uma perda auditiva profunda. Por vezes, as pessoas confundem surdez com perda da audição (deficiência auditiva). Porém, estas duas não devem ser encaradas como sinônimos. 

A perda auditiva deve sempre ser diagnosticada por um profissional, como um fonoaudiólogo ou um otorrinolaringologista. O profissional irá testar a audição para determinar o tipo e grau da perda. Esses resultados serão ilustrados no audiograma.

 

Em alguns casos, a perda auditiva condutiva pode ser temporária. Dependendo da causa do problema, medicação ou cirurgia podem ajudar. Os casos de perda auditiva condutiva podem ser tratados com o uso do aparelho auditivo ou com implante de ouvido médio.

A audiometria mede a perda de audição de forma precisa com um dispositivo electrónico (um audiómetro) que produz sons a freqüências específicas (tons puros) e a volumes determinados. O limiar auditivo para uma variedade de tons é determinado pela redução do volume de cada tom até que a pessoa já não o possa ouvir. Sujeita-se um ouvido de cada vez a este teste. Para medir a audição por condução aérea utilizam-se capacetes,bem como um dispositivo vibratório aplicado contra o osso localizado por trás do ouvido(apófise mastóide)para medir a audição por condução óssea.Como os tons altos que se emitem ao pé de um ouvido também podem chegar ao outro,o teste de tons faz-se emitindo um som diferente,geralmente um ruído,ao pé do ouvido que não esta a ser submetido ao teste.Desta forma,a pessoa ouve o tom do teste só no ouvido examinado.

A surdez, sendo de origem congénita, é quando se nasce surdo, isto é, não se tem a capacidade de ouvir nenhum som. Por consequência, surge uma série de dificuldades na aquisição da linguagem, bem como no desenvolvimento da comunicação. Por sua vez, a deficiência auditiva é um défice
adquirido, ou seja, é quando se nasce com uma audição perfeita e que, devido a lesões ou doenças, a perde. 

A perda da audição pode ser causada por um problema mecânico no canal auditivo ou no ouvido médio que obstrui a condução do som (perda auditiva de audição) ou por uma lesão no ouvido interno, no nervo auditivo ou nas vias do nervo auditivo no cérebro (perda neuro-sensorial da audição). Os dois tipos de perda da audição podem ser diferenciados comparando quando uma pessoa ouve os sons conduzidos pelo ar e como os ouve conduzidos pelos ossos.

A perda auditiva neuro-sensorial denomina-se sensorial quando afeta o ouvido interno, e neural quando afeta o nervo auditivo ou as vias do nervo auditivo localizadas no cérebro. A perda auditiva sensorial pode ser hereditária, ser provocada por ruídos muito intensos (trauma acústico), por uma infecção viral do ouvido interno, por certos fármacos ou pela doença de Meniere. A perda auditiva neural pode ser causada por tumores cerebrais que também danificam os nervos circundantes e o tronco cerebral.Outras causas são as infecções,várias perturbações cerebrais e nervosas,como um acidente vascular cerebral,e algumas doenças hereditárias como a doença de Refsum. Na infância,o nervo auditivo pode ficar danificado pela parotidite,pela rubéola,pela meningite ou por uma infecção do ouvido interno. As vias do nervo auditivo no cérebro podem ser lesionadas pelas doenças desmielinizantes(doença que destroem e bainha dos nervos).

As causas da surdez podem ser divididas em 3:

pré-natais

peri-natais

pós natais

As causas pré-natais são:

Hereditárias (A deficiência auditiva pode ser transmitida geneticamente de geração em geração, particularmente quando existem casos de surdez na família);

Doenças adquiridas pela mãe durante a gravidez, tais como:

Rubéola;

Sífilis;

Toxoplasmose;

Citomegalovirus;

Herpes;

Intoxicações intra-uterinas;

Agentes Físicos (como, por exemplo, os raio-X);

Alterações Endócrinas (Diabetes ou Tiróide);

Carências Alimentares.

As causas peri-natais podem ser:

Traumatismos Obstétricos;

Anóxia.

As causas pós-natais podem ser:

Doenças infecciosas;

Bacterianas (ex.: meningites, otites, inflamações agudas ou crónicas das fossas nasais e da naso-faringe);

Virais;

Intoxicações;

Trauma Acústico.

Há quatro tipos de perda auditiva: 

Perda auditiva sensorioneural que é a mais comum, resulta da falta ou dano da célula sensorial (célula ciliada) na cóclea. 

Perda auditiva condutiva descreve qualquer problema no ouvido externo ou médio que impede que o som seja conduzido adequadamente ao ouvido interno.

Perda auditiva mista é a combinação da perda sensorioneural com a perda condutiva.

Perda auditiva neural ocorre quando o nervo auditivo não consegue enviar sinais ao cérebro. 

Tratamento

O tratamento da perda auditiva depende da causa. Por exemplo, se a presença de líquido no ouvido médio ou de cera no canal auditivo está a causar perda de audição auditiva, o fluido é drenado ou então se procede á eliminação da cera. No entanto, muitas vezes não a cura. Nestes casos, o tratamento consiste em compensar a perda auditiva na medida do possível. A maioria das pessoas usa um dispositivo de ajuda. Em situações excepcionais recorre-se ao transplante do caracol.